Lisboa a bordo do elétrico 28

A bordo do elétrico 28O elétrico 28 nasceu em 1914 e é um símbolo de Lisboa, reproduzido em inúmeras capas de livros e milhões de fotografias. No início do século XX, o itinerário original limitava-se a ligar a praça de Luís de Camões à Estrela. Só em 1928, com o lançamento da linha Rossio-Estrela, é que ganhou a numeração 28. E o trecho final até aos Prazeres foi acrescentado apenas em 1973. O percurso, que custa 2,85 euros, percorre locais emblemáticos como o Chiado, o castelo de São Jorge, Alfama e a Graça. Não admira que, apesar da ausência de guias e de não ser permitida a saída e entrada com o mesmo bilhete, seja frequentado por muitos locais e uma multidão de turistas à procura da Lisboa genuína.

A bordo do elétrico 28Esta é também uma viagem compreensiva pela história da cidade, que começa na Graça, onde encontra a igreja da Graça e o seu miradouro. O elétrico ruma então pela rua da Voz do Operário, ao fundo da qual surge a igreja e mosteiro de São Vicente de Fora. Ao lado está a feira da Ladra que, todas as terças e sábados, reúne centenas de vendedores de rua. Com destreza, o elétrico abre caminho até ao largo das Portas do Sol, bem próximo do castelo de São Jorge e de Alfama. Mais abaixo, alcança a Sé de Lisboa e a igreja de Santo António. Atravessa depois a baixa pombalina, vislumbrando a rua Augusta e o Terreiro do Paço.

A bordo do elétrico 28Se não apanhar o 28 logo no início do percurso, vai deparar-se com um elétrico cheio. Uma vez lá dentro, preste atenção aos seus pertences pessoais. É que este percurso também é muito frequentado por carteiristas – identificáveis por andarem sempre em grupo e com um ar de (falsos) turistas. No entanto, não deixe que lhe estraguem o passeio: ainda há muito caminho pela frente e à baixa pombalina, segue-se o Chiado. Pelo caminho, este elétrico passa pelo teatro de São Carlos e o café A Brasileira. Mais acima encontra a praça Luís de Camões, mas os carris levam-no pela calçada do Combro e ali ao lado ficam o ascensor da Bica e o miradouro de Santa Catarina. Pouco depois, o atinge o palácio de São Bento e encaminha-se para a basílica e o jardim da Estrela. A última parte do trajeto faz-se ao longo do elegante bairro de Campo de Ourique. O cemitério dos Prazeres vem logo a seguir e a viagem termina. Mas só até se decidir a comprar outro bilhete e embarcar nesta rota singular pelo coração de Lisboa.

Outros artigos sobre Lisboa:

Os melhores tours para conhecer Lisboa

Lisboa para pais e filhos

Restaurantes baratos

Cafés e esplanadas

Melhores restaurantes do Bairro Alto

Restaurantes gourmet

Os melhores tours em Lisboa

Galerias RomanasDiz a lenda que Ulisses, personagem da mitologia grega, teve mão na fundação da cidade de Lisboa. De tal forma, que estas terras se chamaram Olissipo (a cidade de Ulisses). Mais de 2000 anos depois, esta história é contabilizada na mitologia local, mas a história verdadeira da capital portuguesa transparece em cada passeio pelas suas ruas antigas. Seja nos edifícios pombalinos, nas mais variadas influências culturais que chegaram com os Descobrimentos, ou nas ruínas que ainda hoje se podem visitar e, claro, na paisagem natural que pontua a cidade do rio Tejo e os seus arredores. Pequenos pormenores que fazem de Lisboa uma cidade única no mundo, admirada pela sua luz caraterística.

Miradouro de Graça - Lisboa (Portugal)Os operadores turísticos de Lisboa prepararam um conjunto muito diversificado de tours destinados a ajudar e surpreender quem visita a cidade. Por norma, estes passeios consistem em percursos planeados, em torno de um tema específico. Alguns são verdadeiras rotas históricas, outros focam-se nas particularidades de Lisboa. Mas há mais: tours pensados para conhecer até os bares da movida lisboeta, outros ligados à restauração local (em Lisboa abundam restaurantes de influências variadas) e passeios lúdicos, em que somos convidados a experimentar uma atividade mais radical, como uma aula de surf.

The National no Tuk TukTambém existem várias formas de fazer um tour por Lisboa. Pode fazê-lo sozinho, mas o melhor será partir acompanhado – ou por um guia turístico ou mesmo integrado num dos muitos grupos, que diariamente partem para percorrer a cidade a pé. Um esforço que compensa, dada a riqueza das sete colinas de Lisboa. Mas pode também optar por um veículo motorizado: autocarro, elétricobarco, tuk-tuk ou até sidecar são algumas das opções. Ainda pode escolher ma visita a uma das muitas praias que rodeiam Lisboa. Costa da Caparica, Sintra ou Cascais são algumas das hipóteses onde pode usufruir do sol e iniciar-se também no surf.

Outros artigos sobre Lisboa:

Os melhores tours para conhecer Lisboa

Os melhores restaurantes italianos

Lisboa para pais e filhos

Restaurantes baratos

Cafés e esplanadas

Melhores restaurantes do Bairro Alto

Restaurantes gourmet

Os melhores restaurantes do Chiado

FábulasO Chiado é a montra de Lisboa: aqui prosperam lojas e restaurantes, numa fusão de estilos que ultrapassa fronteiras e agrada todos os gostos. Elaborámos este roteiro de restaurantes do Chiado, para facilitar as suas escolhas. Saiba assim que o Fábulas e a sua esplanada são de paragem obrigatória. Lá dentro, uma decoração vintage complementa um menu de tostas e saladas. O BCN – Beber e Comer by Novamesa merece atenção, especialmente se procurar uma refeição catalã: aqui brilham as tapas. Visite ainda o Kaffehaus, com um menu de especialidades austríacas – e um brunch que é um dos melhores de Lisboa.

Café São LuizMas passear no Chiado ajuda a abrir o apetite e, por vezes, umas tapas não chegam. Nessas alturas, a ementa generosa do Tacho à Mesa by Faz Gostos oferece uma comida portuguesa feita ao momento e com apuro. Já a Taberna do Chiado recria o ambiente de uma tasca tradicional, com morcela dos Açores com ananás e pá fumada com três queijos fundidos e espargos verdes. Já perto da rua Garrett, brilha o Café do Chiado. Com um estilo boémio, promove a cultura da leitura (tem uma biblioteca) e a cultura de bem comer: risottos, caril de gambas e bife à inglesa são as especialidades. Quase ao lado fica o Café São Luiz, uma cozinha gourmet a preços económico. A ementa é inspirada nos sabores portugueses, misturados com ingredientes de vários pontos do mundo. Saiba ainda que os almoços e jantares no Café São Luiz dão direito a 20% de desconto, nos espetáculos em exibição no teatro onde se insere.

BelcantoNa mesma zona, encontra também o sofisticado Largo. Junto ao teatro de São Carlos, destaca-se pela decoração arrojada e menu contemporâneo, mas com ingredientes bem portugueses: o bacalhau 80º com cura portuguesa é o melhor exemplo. Mantendo a tónica no luxo, vale a pena visitar o U Chiado. Com uma decoração industrial chique, é dos restaurantes que fica aberto até mais tarde (fecha às 02h00) e destacam-se os vários hambúrgueres, risottos e pastas e o bacalhau em azeite de alecrim. Difícil é mesmo evitar um dos restaurantes de José Avillez, já que este chef mantém três casas no Chiado. O Belcanto, que abriu em 1958, faz-se valer do look aristocrático e de pratos como o “mergulho no mar e o cordeiro” e os clássicos strogonoff e os ovos à professor. Também a Pizzaria Lisboa tem a assinatura Avillez. Neste restaurante encontra 25 variedades de pizzas com nomes que homenageiam Lisboa, bem como risottos, massas e saladas. Por fim e para sobremesa, nada melhor que uma paragem no Santini. Aquela que é talvez a geladaria mais famosa de Lisboa e arredores, tem sempre fila à porta e isso deve-se à e frescura dos ingredientes: os gelados são 100% artesanais e de comer e chorar por mais.

Outros artigos sobre Lisboa:

Lisboa romântica

Tascas de Lisboa

Lisboa para pais e filhos

Restaurantes baratos

Restaurantes gourmet

Lisboa romântica

Memmo AlfamaEm Lisboa, o amor anda no ar. É o charme dos edifícios, a beleza das ruas, a graça da calçada à portuguesa e a alegria da luz. Podíamos gastar horas a explicar porque é que Lisboa é a cidade ideal para uma escapada romântica, mas cada casal deve certificar-se disso por si mesmo. Comece por encontrar um hotel à sua medida, como o requintado Mercy Hotel. Localizado no epicentro da cidade, tem a Baixa e o Bairro Alto aos pés, além de oferecer uma vista única da cidade a partir do seu terraço. Nesta zona situa-se também o Hotel Internacional, que aproveitou um antigo edifício pombalino para se instalar. Contudo, se preferir mergulhar na Lisboa mais castiça, tente o Memmo Alfama, que faz parte da rede Design Hotels. Fica a dois passos do castelo de São Jorge e a outros tantos de Alfama.

Ponto FinalDe malas arrumadas, é hora de conhecer Lisboa com a sua cara-metade. O elétrico 28 é uma forma simpática de experenciar a cidade. O percurso demora cerca de uma hora e passa por algumas das zonas mais emblemáticas da cidade, como a Graça, o Castelo, o Chiado ou a Estrela, com a sua basílica. Se estiver hospedado no centro da cidade, aproveite para visitar o Cais das Colunas – com uma vista privilegiada para o rio Tejo – ou o miradouro do Arco da Rua Augusta. Se o tempo estiver convidativo, embrenhe-se na cidade para conhecer o jardim do Torel e o miradouro de Nossa Senhora do Monte – dois pontos essenciais para um entardecer lisboeta. Espaços como o jardim da Estrela ou os jardins da Gulbenkian são igualmente incontornáveis, já que são recatados e proporcionam bons momentos a dois. E quando a fome apertar e pedir um lanche a meio da tarde, pare no Delidelux, em Santa Apolónia – esta esplanada com vista para o rio Tejo é um must.

Pavilhão ChinêsPara experimentar cozinhas intimistas, sugerimos restaurantes como o 100 Maneiras, o Origami e o Pedro e o Lobo. Todos eles aliam sofisticação e charme à tradição culinária portuguesa. Mais atrevido é o Afreudite, de ambiente mais quente e onde a comida é exoticamente afrodisíaca. O derradeiro local de romance é, no entanto, o Ponto Final, em Almada. Uma das mesas deste restaurante está literalmente sobre o rio, sendo possível assistir a um inesquecível pôr-do-sol sobre a baía do Tejo. Findo o jantar, há opções adequadas para uma noite de romance. Se preferir um bar mais descontraído, recomendamos o Pavilhão Chinês, decorado a preceito. No Foxtrot, por onde os anos não passam, funciona a mesma lógica e o romantismo é também palavra de ordem. No entanto, se preferir divertir-se noite dentro, arrisque o Ondajazz em Alfama, ou o sempre trendy Lux Frágil. Mas claro que pode simplesmente voltar ao hotel e ficar a matutar no que escreveu Fernando Pessoa, um dos poetas incontornáveis de Lisboa, sobre o tema: «amo como ama o amor, não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar, que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?».

Outros artigos sobre Lisboa:

Os melhores tours para conhecer Lisboa

Lisboa para pais e filhos

Restaurantes baratos

Cafés e esplanadas

Melhores restaurantes do Bairro Alto

Restaurantes gourmet

Restaurantes para jantares de grupo em Lisboa

Adega da Tia MatildeJantares de aniversário, despedidas de solteiro, jantares de curso, reuniões familiares…Muitos restaurantes têm menus apropriados para grupos, oferecendo um (ou mais pratos) e bebidas por um preço fixo. Para facilitar a escolha, preparamos um guia de restaurantes para jantares de grupo em Lisboa. Só tem de escolher o mais adequado e fazer a necessária reserva antecipada. A Adega da Tia Matilde é um clássico nestas andanças. Aberta desde os anos de 1920, no bairro de Entrecampos, começou como tasca simples e herdou daí o ambiente despretensioso e os petiscos que ainda hoje serve, como as pataniscas de bacalhau e a canja de cherne com amêijoas e espinafres.

Parreirinha do DuqueO Foradoras, na rua Cruz dos Poiais (próximo de São Bento), é outro especialista em jantares de grupo. Aqui as entradas são anunciadas como “exclusivas” e preparadas à moda caseira. Perto do centro de Lisboa, a dois passos do Bairro Alto e outros tantos da estação ferroviária do Rossio, fica a Parreirinha do Duque. Gerido pela bem-disposta dona Mena, é um restaurante para grupos por excelência e está sempre cheio de turistas e gente local. O Santa Rita, um tesourinho na baixa de Lisboa cada vez mais a descoberto, trabalha numa lógica similar e os seus jantares de grupo garantem quatro pratos distintos por pessoa. Também a Hamburgueria Gourmet do casino de Lisboa está pronta para receber grupos. Pensada para os jovens de estilo cosmopolita, aqui são os hamburgueres, as pizzas e o sushi de fusão que se destacam.

Restaurante PharmáciaMas nem só de antigas tabernas se faz este guia de restaurantes para grupos. AMesa, instalado na LX Factory, foi concebido a pensar precisamente em reuniões de comensais. O prato forte é a pizza, confecionada no momento e servida na mesa única deste restaurante e à volta da qual se podem sentar até 50 pessoas. Quem preferir optar por um ambiente mais sofisticado, pode experimentar o restaurante Pharmácia. Com uma decoração inspirada no Museu da Farmácia (onde, de resto, está integrado), conta com um receituário onde constam petiscos como tiborna e bolo de caco com cogumelos e um DJ para animar o espaço.

Cantinho do AvillezJosé Avillez, vencedor de uma estrela Michelin em 2011, tem no seu Cantinho do Avillez uma paragem para grupos que gostam tanto de glamour como de petiscar. Neste espaço, o chef oferece empadinhas de perdiz com bacon e cebolinhas, farinheira com crosta de broa e pratos como tagine de cordeiro, couscous de legumes e molho de iogurte. Ao lado, na rua Serpa Pinto, mora o Largo, onde o chef Miguel Castro e Silva elabora menus para grupos tendo em conta a sazonalidade. O Largo ressalta ainda por ter uma das mais extensas cartas de gins de Lisboa. Feita as apresentações, tome a iniciativa da escolha e reúna os seus amigos para se por a caminho de um belo jantar de grupo em Lisboa.

Outros artigos sobre gastronomia em Lisboa:

Restaurantes italianos

Tascas de Lisboa

Melhores restaurantes do Bairro Alto

Cafés e esplanadas

Restaurantes baratos

Restaurantes gourmet

Sabores de Lisboa

Guia de restaurantes