Basílica da Estrela

Morada:
Praça da Estrela
1200-667 Lisboa
Contacto:
213 960 915
Website:
0€
Horário:

8h00 - 20h00
Transportes:
Autocarro
CARRIS: 25E, 28E, 709, 713, 773, 774

Basílica da EstrelaA Basílica da Estrela (ou Basílica e Convento do Santíssimo Coração de Jesus) fica defronte do jardim da Estrela e é composta por uma igreja e um antigo convento de freiras carmelitas. Identifica-se facilmente pela grande cúpula branca e ocupa o topo de uma colina entre a Lapa e Campo de Ourique. É uma versão simplificada do Convento de Mafra, em estilos neoclássico e barroco tardia. A sua grande fachada está ladeada por duas torres gémeas, decoradas com estátuas de santos e alegorias. A Basílica da Estrela foi construída em cumprimento de um voto da princesa D. Maria Francisca Isabel (futura rainha D. Maria I), que no dia do seu casamento com D. Pedro, em 1760, prometeu erguer uma igreja e um convento se desse enlace resultasse um filho. Em 1761, foi mãe de um rapaz, mas como o terramoto de 1755 dava prioridade à reconstrução de Lisboa, o cumprimento dessa promessa foi adiado até 1779. As obras começaram então sob a direção do arquiteto Mateus Vicente de Oliveira, depois substituído por Reinaldo Manuel do Santos (conta a tradição que o afastamento do primeiro, o matou de desgosto). Consagrada em novembro de 1789, foi a primeira igreja do mundo dedicada ao Sagrado Coração de Jesus. Mas o filho da rainha que motivara esta edificação já tinha sucumbido à varíola, no ano anterior.

Interior da Basílica da EstrelaNo interior, decorado com mármores brancos, amarelos, rosas, azuis e negros, uma grande cúpula superior ilumina todo o templo, que está adornado com pinturas de Pompeo Batoni (pintor italiano do período rococó) e Pedro Alexandrino. No lado direito da igreja, encontra o majestoso túmulo, em estilo império, da rainha D. Maria I. Outra atração é o presépio de Machado de Castro, em exibição numa sala por detrás do sepulcro da rainha, com as suas 500 figuras de terracota e pasta de papel, destacando-se as imagens de São José e da Virgem Maria. A basílica dispõe de dois órgãos, o grande órgão de 1789 e o órgão de coro de 1791 (restaurado em 1998).

Informações úteis

A basílica recebe muitos visitantes, atraídos pela sua monumentalidade e pelo facto de estar ao lado de uma paragem dos elétricos 25 e 28 (muito frequentados por turistas). Está aberta todos os dias da semana, das 8h00 às 20h00 (evite as horas em que decorrem serviços religiosos). A entrada na igreja é gratuita, mas se visitar o presépio de Machado de Castro, será convidado a contribuir com 1,50 euros. Recomendável é também a visita ao terraço e interior da cúpula da basílica, cujo bilhete custa 4,00 euros. É um ponto fantástico (e pouco conhecido) para apreciar um belo panorama de Lisboa, mas prepare-se para uma fatigante escalada por uma escada em caracol.